É BOM SER AMIGO DO SEU FILHO?

29 jun
2 comment

Raquel de Godoy Retz Pompeo

Precisamos entender que demonstrar carinho, que ter proximidade, estabelecer uma relação aberta para que a criança sinta-se livre para falar das coisas da vidinha dela são características de uma amizade e devem ser também da relação entre pais e filhos.

Isso não esgota o assunto, pois ser pai e mãe é muito mais do que ser amigo. É um papel específico e tem grandes diferenças do papel dos amigos.

 

Aos pais cabe a responsabilidade de orientar, de colocar limites, de cuidar, de corrigir, de apoiar nas dificuldades e situações na qual seja necessário mudanças de comportamentos. Estes papéis não são de um amigo!

Uma relação na qual você olha e vê cumplicidade, alegria, companheirismo, parceria, nem sempre é a mais correta e a melhor para a criança; então não pode ser retrato da relação pai e filho. Como assim?

 

Estes termos acima: cumplicidade, alegria, companheirismo e parceria marcam a amizade e podem estar na relação paterna e materna, porém educar, preparar para a vida é um processo que envolve frustração, aprender a lidar com limites e “nãos” da vida – isso não é o que se vê entre amigos.

Há pais que carregam de seus próprios pais relações frias e afirmam que isso foi tão ruim em sua infância a ponto de torná-los “carentes” e que não desejam de forma nenhuma ter esta relação com os próprios filhos. Cuidado, ser afetivo não significa ser só “amiguinho” de seu filho.

 

Os adultos precisam controlar as suas “carências” e assumir as consequências de ver a “braveza” ou “tristeza” ou até um “afastamento” temporário do filho que recebeu uma correção ou não teve seu desejo atendido, tendo certeza de que isso foi o melhor para ele.

É melhor um filho “chateado” com um pai do que um filho que não esteja preparado para enfrentar a vida com tudo que ela apresenta. A felicidade verdadeira não é obter tudo que se quer e realizar todos os sonhos momentâneos, mas sim, construir relações maduras, confiáveis, respeitosas e alicerçadas no amor, ter estabilidade e paz, alegria e fé.

 

 

Qual assunto você gostaria de esclarecer a respeito da educação de seus filhos? Escreva para nós devotosmirins@santuarionacional.com ou deixe seu comentário aqui em baixo 👇

2 Comentários

  1. Cintia
    3 meses atrás

    Adorei o texto! Sou mãe e amiga da minha filha. Ela tem apenas 5 anos, mas é muito madura e observadora. Presta muita atenção no que os adultos fazem e corrige quando estão errados. Dividimos muitos momentos e conversas. Além de ensinar muitas coisas para ela, aprendemos muitas coisas juntas. Uma ensina a outra!

    Comente!
    1. Tijolinho
      Tijolinho
      2 meses atrás

      Olá Mamãe, ficamos muito felizes em saber que contribuímos com este momento de mãe e filha.
      Um abraço da turminha

      Comente!